Com clientes cada dia mais exigentes, uma boa cama e chuveiro deixaram de ser o carro-chefe da hotelaria. Customização da experiência, conectividade e entretenimento dentro e fora do quarto tornaram-se parte essencial da estadia. Peça-chave da satisfação dos hóspedes, um sinal de TV de qualidade e uma gama de canais nacionais e internacionais são obrigatórios em meios de hospedagem.

Neste contexto, o sistema rack, também conhecido como sistema coletivo de TV, ganha espaço nos hotéis brasileiros. Responsável pela distribuição de sinais dos canais nos apartamentos, o equipamento funciona como uma central ou servidor que integra todos os receptores, disponibilizando serviço por meio de apenas um cabo para dezenas, centenas ou milhares de pontos.

Fornecedora de custom TV para a hotelaria, a Blincast utiliza o sistema rack nos clientes, oferecendo maior qualidade de imagem e redução de custos no final do mês. “A central de distribuição para sistema coletivo é um equipamento projetado para revolucionar a qualidade de imagens das televisões em hotéis, hospitais, resorts, pousadas e condomínios. Geralmente, a distribuição de sinal é realizada de forma equivocada ou então por meio de receptores individuais por quarto, o que aumenta muito o custo das instalações e geram resultado final pouco satisfatório”, explica Thiago Paiva, CEO da empresa.

O rack é acomodado e organizado com equipamentos de recepção e moduladores em um único lugar, sejam esses sinais provenientes do satélite (das operadoras) ou por sinais abertos. “O aparelho é colocado em um local seguro do hotel, onde somente o técnico tem acesso. Na central é possível selecionar os canais e assim distribuí-los via cabo para todos os pontos de TV do estabelecimento”, destaca Paiva.

Sistema rack: redução de custos

Além de garantir uma melhor qualidade de imagem, o sistema ainda reduz custos significativos aos hotéis. “Um sistema mais fácil de ser gerenciado com economia financeira que gira em torno de 50%”, conta Rafael Camargo Carneiro, diretor de Operações do Hotel Rio Vermelho, em Goiania.

“Quando começaram a negociar a implantação, fui pesquisar sobre o sistema rack, que eu ainda não conhecia. O serviço é oferecido sem o decoder no apartamento, removendo um controle da operação. Com isso, caem os custos de reposição, tanto de controle, quanto das pilhas. Além disso, melhora a assistência ao hóspede sobre o que cada equipamento fazia e ainda ganho praticidade de escolher quais canais atendem melhor ao meu cliente”, complementa Carneiro.

Já no Vida Plaza Hotel, em Brasília, a economia mensal chegou a 20%. “Ganhamos em qualidade e custo-benefício”, pontua Enéas Portugal, diretor de Operações do empreendimento. “Para os nossos clientes, a facilidade é enorme, pois utilizam apenas o controle da TV para alterar os canais ou qualquer outro comando do aparelho, além de limitar a necessidade de chamados técnicos nos apartamentos por algum erro de configuração”, finaliza Paiva.

(*) Crédito da foto: Alehandra13/Pixabay