Publicidade
Sex 13 Mai 2016

Maksoud Plaza: o hotel com estrutura de cinco estrelas reacende glamour com nova fase

Nova fase do empreendimento traz de volta o seu brilho (fotos: Peter Kutuchian)

Sim, o ano é 1979 e o Maksoud Plaza é inaugurado, transformando-se rapidamente no principal hotel da cidade de São Paulo, sinônimo de luxo, alta gastronomia, por hospedar celebridades e, principalmente, pela alta frequência de próprios cidadãos paulistanos. Muitos deles íam apenas para entrar e parar no meio do lobby, contemplando o atrium e os quatro elevadores panorâmicos. Outros eram frequentadores assíduos dos restaurantes, que marcaram uma inovação gastronômica na capital da hotelaria brasileira - afinal qual meio de hospedagem tinha cinco restaurantes e cinco bares? E, quem é que não foi ou conhece alguém que tenha ido tomar café da manhã de madrugada, saindo direto da balada? Sim, o Brasserie Bellavista ficava aberto 24 horas e foi outro marco do meio de hospedagem de luxo.

Inovações sempre foram um marco no empreendimento erguido no terreno com três frentes, a começar pela própria localização, estrutura e projeto arquitetônico. Henry Maksoud (1929-2014), fundador do hotel, além de ser engenheiro civil e elétrico, dono da Hidroservice, apresentador de programa de TV e escritor, vivia no hotel e acompanhava os mínimos detalhes.

Durante duas décadas o Maksoud Imperou como um dos principais hotéis da cidade, ao lado do Ca’d’Oro, Caesar Park Augusta e Hilton Downtown. Os negócios em São Paulo estavam alternando de polo, saindo da região central, migrando para a Avenida Paulista e iniciando sua descida para a Faria Lima e Berrini.

Com a chegada das redes internacionais, a ampliação das bandeiras nacionais e o desenvolvimento dos flats pelo mercado imobiliário, a oferta de meios de hospedagem superou a demanda. Aliada com a crise econômica mundial e com os atentados nos EUA, no início do século, os índices de ocupação e de diária média despencaram. Os primeiros sete anos da década passada foram complicados e a regularização das tarifas só veio a acontecer a partir de 2008. Segurar as rédeas de um hotel como o Maksoud não era fácil. No apogeu do eterno cinco estrelas, cerca de 1 mil colaboradores trabalhavam ali. A alta ocupação vivenciada por quase 20 anos começava a declinar e consequentemente sua receita também.

Com a dificuldade, os hotéis não conseguiram segurar seus chefs, que foram abrir seus restaurantes. Comer no Maksoud já não era visto como tanta novidade assim, mesmo o La Cuisine du Soleil - o seu principal restaurante - sendo qualificado como um dos melhores por vários anos pelo Guia Quatro Rodas. O declínio foi inevitável.

Henry Maksoud Neto está no comando do hotel paulistano
(foto: divulgação/Analítica)

Nova fase
Mas, como tudo na vida faz parte de um ciclo, o Maksoud está de volta. Desde o ano passado, o hotel vem apresentando novidades. Quem está à frente de toda a operação é Henry Maksoud Neto, que trabalha no hotel desde os 15 anos. “No ano passado inauguramos o PanAm, o Frank Bar e o Restaurante 150. Além disso, fizemos uma parceria comercial com a AccorHotels, que faz venda das reservas por meio de seus canais on e offlines. Ainda neste ano teremos novidades, como a implantação de um cinema e de uma suíte especial”, revela.

A inauguração do PanAm, um espaço para festas privativas na cobertura do edifício, e do Frank Bar, é fruto de uma parceria com o empresário Facundo Guerra - um expert em abrir casas noturnas e de entretenimento em São Paulo. As ações têm um objetivo em comum: colocar o Maksoud no boca-a-boca da geração jovem e que sai para baladas. A estratégia já está funcionando. O Frank Bar vive lotado de quinta à sábado e os reviews a respeito do PanAm são positivos.

A parceria com a AccorHotels é uma cartada interessante. Sendo a maior rede do País e a sexta maior do planeta, será que no futuro essa parceria pode ser mais fortalecida entre os grupos? Fazendo uma suposição, há tempos que a rede francesa está em busca de um empreendimento upscale que preencha a falta da marca Sofitel na cidade. Talvez a bandeira mais adequada seja a MGallery by Sofitel, e caso isso aconteça, o nome da família deve ser mantido na fachada do empreendimento. A marca é forte e atualmente o hotel é o número um nas vendas do portal expedia.com em São Paulo.

Nos últimos anos, mais de R$ 5 milhões foram investidos no mantenimento e nas renovações. As habitações, áreas de eventos (são 38 espaços) e de lazer, estão muito bem. Ainda falta repaginar o Atrium Lobby, diminuir a fonte e aumentar o tamanho do restaurante. Isso deve acontecer em breve, não foi anunciado mas é natural que seja feito. É uma das últimas etapas.

As implementações feitas até o momento foram meticulosamente estudadas para aumentar a receita e com ela realizar parte das renovações.

De qualquer forma, é muito gratificante ver o Maksoud assim. São Paulo merece ter ele de volta no topo das parada e o próprio empreendimento também. É uma das mais puras representações hoteleiras do Brasil, por tudo que fez, por sua estrutura sem igual, pela história e pelo marco que é. Henry Maksoud deve estar feliz.

Por Peter Kutuchian*

O Maksoud Plaza tem uma estrutura diferenciada, poucos hotéis no País têm algo parecido. São quatro subsolos que compõe a base de serviços como os departamentos de marcenaria, elétrica, hidráulica, patisserie, padaria, além das áreas de governança, almoxarifado, rouparia, lavanderia, entre outros. 

Num terreno de 12 mil m², o Maksoud Plaza possui 22 andares, cinco mil m² contemplando 38 espaços de eventos, estacionamento, área de bem-estar com piscina, academia de ginástica, saunas e banheiras de hidromassagem, heliponto homologado - único em hotel na região - com capacidade para receber aeronaves de cinco toneladas e com acesso por elevador até a pista, business center, lounge para clientes hospedados nas suítes, lounge exclusivo para tripulações, restaurante e bar.

Chaves e Andrade, experts do sorriso e da simpatia

Na base do atendimento, o hotel tem colaboradores antigos, que estão há anos na ativa, sendo essenciais a arte do bem receber, pois nada é melhor do que chegar num lugar e ser recebido pelo nome, com um sorriso sincero. Nada melhor do encostar o carro e ver o Chaves se aproximar para recepcionar. Aliás, o Chaves é um dos poucos remanascentes de um dos postos mais importantes na recepção dos hóspedes. Um sorriso de capitão-porteiro garante 50% de uma boa estada para o cliente.

O Andrade é outro profissional do atendimento. Chefe da Portaria Social, está sempre pelo lobby cumprimentando os hóspedes, que adoram conversar com ele. Além do Chaves e do Andrade, garçons, maitres, mensageiros fazem parte da trupe da arte do atendimento.

Confira abaixo fotos da infraestrutura do Maksoud e mais detalhes: 

Quartos e suítes
O Maksoud Plaza conta com 371 quartos e 45 suítes. A reportagem ficou hospedada na Suíte Paulistana 1415 com vista para a região central de São Paulo e, realmente, as habitações que ficam de frente para a alameda Ribeirão Preto possuem a melhor vista, dependendo do andar que estão situados. 

A suíte onde passamos a noite é bem confortável e passou por uma reforma, assim como todas as habitações do hotel. Piso, cortinas, camas, TV’s e enxoval foram substituídos, num investimento, que, como já foi dito, custou R$ 5 milhões e alcançou outras áreas. 

O mobiliário é o mesmo, porém continua muito bem conservado e como foi desenvolvido com materiais de excelente qualidade, sua durabilidade faz desnecessário o descarte. “Nosso objetivo primordial é atender o hóspede de maneira que seu conforto esteja garantido dentro dos padrões de qualidade do Maksoud. Isso podemos garantir”, afirma Henry Neto.

TV’s de 32”, DVD player, muitos canais a cabo, frigobar e amenities completos, excelente iluminação, enxoval de primeira, armário amplo, conservação excelente. Estes são alguns dos atributos da suíte na qual passamos 24 horas e de outras habitações que conhecemos.

Veja a galeria de fotos abaixo e tire suas conclusões:

Frank Bar
Repaginado e reinaugurado no ano passado, o antigo Batidas & Petiscos virou o Frank Bar é um autêntico bar de hotel. Instalado no Atrium Lobby, ao lado da recepção, o espaço se divide nas mesas internas, no balcão e na área externa, que fica sob o teto de vidro do lobby.

Sob o comando de Spencer Jr., o Frank Bar tem esse nome em homenagem a Frank Sinatra, que esteve no hotel há 25 anos, onde fez quatro apresentações para um público seleto no antigo 150 Night Club, imagens que estão retratadas nas paredes do bar, incluindo fotos do cantor norte-americano com as equipes do Maksoud e capas do LP lançado na ocasião.

O Frank é um daqueles bares que dá vontade de ir todo fim de semana. Primeiro porque está dentro do Maksoud, segundo, os drinques elaborados ali são muito especiais. Tanto são, que o espaço ganhou a conotação de ser um dos cinco melhores bares da cidade pela Prazeres da Mesa, com menos de um ano de operação - foi inaugurado em 30 de abril de 2015.

Spencer Jr em ação no Frank Bar

Já Spencer Jr, foi eleito duas vezes como melhor barman do ano pela Comer & Beber da Veja São Paulo, criou uma carta com 33 drinques que estão classificados em Classics, Icon Evolutions e House. 

Mesmo com uma trupe de cinco barmans, nosso primeiro drinque - La Mula - demorou 40 minutos para ficar pronto. “A sexta-feira é o nosso melhor dia, quando preparamos mais 500 drinques”, revelou Spencer Jr. Depois, provamos o Souless Gentleman com sua grande pedra de gelo esculpida. Para equilibrar, degustamos bolinhos de risoto de funghi - deliciosos!

Para animar os finais de semana, a partir da quinta e até o sábado, sempre das 21h até a uma da madrugada, rola uma música ao vivo, sempre com uma banda diferente: Frank Jazz Trio, Baldacci Trio e Luchin Jazz Project.

Se você gosta de drinques incomparáveis, elaborados com maestria, o Frank Bar é imperdível. Aliás, estou terminando esta matéria na manhã desta sexta-feira, e estou com muita vontade de terminar o dia no Frank Bar, vamos lá?

Gastronomia
Desde dezembro do ano passado, Juca Duarte é o responsável em comandar a gastronomia do Maksoud Plaza. As mudanças começaram com a repaginada no cardápio e a criação do Restaurante 150 Maksoud, que engloba o antigo Brasserie Belavista e uma área anexa inaugurada em fevereiro deste ano. 

As novidades oxigenaram a gastronomia do hotel, com um novo cardápio, mantendo as tradicionais Feijoadíssima, servida aos sábados. "Devemos ter um novo espaço em breve, mas não podemos falar nada ainda. O que podemos dizer é que temos opções diferenciadas dos outros restaurantes na região. O Maksoud tem um forte apelo gastronômico pois inovou muito e marcou época, mas estamos em outros tempos. O que oferecemos é uma gastronomia diferente e exclusiva, além do sucesso é claro do Frank Bar, único na cidade", diz Duarte.

Um fato interessante aconteceu quando estava conversando com o Andrade, um dos colaboradores mais antigos do hotel, chefe da portaria social. Faltavam alguns minutos para as seis da manhã e estávamos em frente a porta de entrada no lobby quando entra um rapaz perguntando se o café da manhã já estava sendo servido. Indago qual outro hotel em São Paulo mantém essa tradição?

Juca Duarte é o chef executivo do Maksoud

Falando no café da manhã, a primeira refeição do dia apresenta itens variados, de muito boa qualidade e com apresentação esmerada. O mesmo com a Feijoadíssima e com o serviço de quarto, que mantém a apresentação five star com talheres de prata. 

Confira os cliques da gastronomia do Maksoud Plaza na galeria abaixo e bom apetite!

Serviço
maksoud.com.br

* A reportagem do Hôtelier News hospedou-se no Maksoud Plaza a convite do próprio empreendimento.

Notícias Relacionadas

Comentários

Contato

Telefone : (11) 3253-9762

Celular/Claro : (11) 976-527-506

Celular/Claro : (11) 976-536-848

redacao@hoteliernews.com.br

Rede Sociais
Newsletter