Como em 2017, redes se planejam para lucrar com os feriados prolongados


Feriadões marcarão o ano de 2018: hotelaria se prepara 

Não é só a retomada da economia que vem deixando o mercado hoteleiro animado. O ano de 2018 será marcado por um bom número de feriados. No total, são nove datas festivas nacionais (algumas já passaram) e cinco pontos facultativos, sem contar os feriados estaduais e municipais. Desses "dias de folga", quatro cairão em uma sexta-feira, dois na segunda-feira e cinco em terças e quintas-feiras. Boas oportunidades para as redes hoteleiras faturarem, certo?

Em 2018, a primeira grande festividade é o Carnaval, encerrado oficialmente hoje, mas que ainda gera demanda até domingo (17). Embora ainda não tenha divulgado números finais relativos à ocupação, a ABIH Nacional (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) tinha previsões positivas para o período.

Em termos de expectativa de vendas, redes, resorts e hotéis independentes já tiveram um bom termômetro no ano passado, que contou com 10 feriados prolongados. Em parte, é em cima dessa experiência que muitos meios de hospedagem definiram suas estratégias para elevar a receita nessas datas, muito cobiçadas por viajantes de diferentes perfis.

O Pratagy Beach Resort, em Maceió (AL), por exemplo, costuma criar uma série de atividades para entreter os hóspedes, conta Mariana Mello, gerente geral de Vendas e Marketing do Grupo Pratagy.

"Os feriados prolongados geram muita venda orgânica. Por isso, é necessária ter muitas novidades para apresentar aos hóspedes. Nosso objetivo é prolongar a permanência do cliente e fazê-lo voltar”, conta a executiva. “Ainda assim, essas atrações não podem se concentrar apenas nessas datas. Aqui no Pratagy, a cada mês exploramos um tema em nossas atividades de lazer, entretenimento e gastronomia", completa.

O Pratagy Beach Resort, que opera no sistema all-inclusive, beneficiou-se da quantidade de feriados já em 2017. "Anos com muitos feriados prolongados favorecem bastante o mercado de lazer. Em 2018, com um cenário de recuperação, as viagens nacionais de curta duração tendem a ser mais procuradas”, comenta Mariana. “No ano passado, nossa ocupação nessas datas foi excelente", complementa.

Mesmo com um cenário positivo à frente, Mariana refere-se a 2018 com um misto de otimismo e cautela. "Projetamos crescimento de 10% nas vendas frente ao ano passado. Estamos sendo cautelosos porque estamos diante de um ano com Copa do Mundo e eleições presidenciais", ressalta.

Feriados: marketing digital como aliado

Pedro Botelho, brand manager do Pestana Hotel Group, acredita na combinação entre a dedicação da equipe de vendas e na eficiência das ferramentas digitais para explorar ao máximo o potencial dos “feriadões”. "Estamos desenvolvendo um trabalho de Marketing Digital baseado nos perfis e comportamentos dos consumidores”, revela o executivo. “Também acreditamos no trabalho forte do setor Comercial e de Relacionamento com os nossos principais parceiros de forma a que se consigam boas ocupações", acrescenta.

No radar do Pestana, contudo, não está apenas o mercado brasileiro. Hotéis da rede portuguesa fora do país também podem se beneficiar, avalia Botelho. "Ano passado, o resultado foi satisfatório, mas acreditamos que temos manobra para crescer muito mais, como em Buenos Aires, por exemplo."

Venda cruzada e RM

Já Guilherme Castro, CEO da Samba Hotéis, acredita que é muito importante alinhar a estratégia comercial para os “feriadões” com a realização de eventos. "A rede tem trabalhado fortemente na ocupação dos hotéis em finais de semana por meio da busca de eventos de igrejas e escolas e no segmento de lazer como um todo", afirma o executivo.

Segundo Castro, a rede – que tem oito unidades em seu portfólio, sendo quatro fortemente inseridos no segmento do lazer (Angra dos Reis, Foz do Iguaçu, Itabirito e Sacramento) – tem conseguido gerar vendas cruzadas entre os empreendimentos. "Portanto, a estratégia para os feriados é não se desesperar e alinhar as possibilidades de mercado utilizando estratégias inteligentes e praticando o Revenue Management", finaliza.

* Crédito da foto: Pixabay/webandi

Comentários